sexta-feira, 12 de abril de 2019

[FLAC] PINK FLOYD - BBC Archives 1967-69


Bootleg que reúne algumas das diversas gravações dos primórdios do Pink Floyd para a rede britânica de rádio e TV, BBC entre os anos de 1967 e 69.

O registro é dividido em dois discos com aparições em alguns programas de rádio como Top Gear (não confundam com o programa automobilístico), que já recebeu grande parte dos melhores artistas da época tais como Zeppelin, Kinks, Beatles, Cream, Who, dentre muitos outros...

 Aqui encontramos uma recheada coletânea ao vivo com a melhor a fase da banda, faixas clássicas e outras obscuras em belas versões.

A qualidade do áudio é excelente e vale como um ótimo achado já que algumas gravações dessa época eram, na maioria das vezes, um tanto precárias.


TRACKS:

DISCO I

Pow R Toc H (14 de Maio de 1967 “Look Of The Week”)
Astronomy Domine (14 de Maio de 1967 “Look Of The Week”)
The Gnome (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Scarecrow (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Set The Controls For The Heart Of The Sun (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Matilda Mother (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Reaction in G (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Flaming (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Green Onions (12 de Dezembro de 1967 “Tomorrow’s World”)
Instrumental (12 de Dezembro de 1967 “Tomorrow’s World”)
Vegetable Man (20 de Dezembro de 1967 “Top Gear”)
Scream Thy Last Scream (20 de Dezembro de 1967 “Top Gear”)
Pow R Toc H (20 de Dezembro de 1967 “Top Gear”)
Jugband Blues (20 de Dezembro de 1967 “Top Gear”) 

DISCO II

Instrumental (26 de Março de 1968 “The Sound Of Change”)
Set The Controls For The Heart Of The Sun (28 de Março de 1968 “Omnibus’ All My Loving”)
The Murderotic Woman (25 de Junho de 1968 “Top Gear”)
The Massed Gadgets Of Hercules (25 de Junho de 1968 “Top Gear”)
Let There Be More Light (25 de Junho de 1968 “Top Gear”)
Julia Dream (25 de Junho de 1968 “Top Gear”)
Point Me At The Sky (02 de Dezembro de 1968 “Top Gear”)
Baby Blue Shuffle In D Major (02 de Dezembro de 1968 “Top Gear”)
Embryo (02 de Dezembro de 1968 “Top Gear”)
Interstellar Overdrive (02 de Dezembro de 1968 “Top Gear”)
Daybreak (12 de Maio de 1969 “Top Gear”)
Nightmare (12 de Maio de 1969 “Top Gear”)
The Beginning (12 de Maio de 1969 “Top Gear”)
Beset By Creatures Of The Deep (12 de Maio de 1969 “Top Gear”)
The Narrow Way (12 de Maio de 1969 “Top Gear”)
Moonhead (20 de Julho de 1969 “Omnibus’ What If It’s Just Green Cheese?”)

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

quinta-feira, 28 de março de 2019

[FLAC] MARILLION - Live at Marquee Club - 1982



'Muitos sabem que durante muitos anos nunca fui muito fã do Marillion, sempre tentava ouvir um disco ou outro mas, até então nunca havia me convencido de que se tratava de uma banda de excelente qualidade para os padrões do Rock Progressivo que nascia no começo dos anos 80. Hoje em dia, em conversa com alguns fãs mais enérgicos, comecei a traçar um caminho de muitas surpresas e boas descobertas. Uma delas, foi esse excelente bootleg ao qual tenho em meu acervo por um bom tempo e nunca tinha parado para escutar com a merecida atenção. 


Posso dizer que me surpreendi bastante com a qualidade da banda e sua energia, ás vezes um tanto sombria, como o modo em que o grande Fish emanava em apresentações ao vivo. Sempre desdenhei de seus músicos e hoje quebro a cara ao saber o quão grandioso é o guitarrista Steve Rothery e o  quanto lidera com maestria um álbum tão lindo quanto o Script For a Jester´s Tear.


Devo salientar que a era Fish, sem dúvida, é a minha favorita mas, infelizmente, tenho muito respeito e pouco apreço pela continuidade dada a banda após a entrada de Steve Hogarth em 1988, originando uma nova roupagem em um estilo que foge um pouco ao meu conceito sobre Rock Progressivo'.


Gravado em 07 de Março de 1982 no Maequee Club em Londres,  essa apresentação ocorreu nos primórdios do Marillion, quase um ano antes do lançamento do primeiro e melhor álbum da banda, Script For a Jester´s Tear. 

Conta também com versões interessantes de  'Garden Party' e 'Forgotten Sons', além de faixas não-oficialmente lançadas mas excelentes como 'Charting the Single' e uma bela versão de 'Grendel', beirando seus 21 minutos de duração, com o destaque absoluto ás mais variadas e engenhosas passagens de teclados vindas de Mark Kelly. Músico ao qual tenho muita empatia pelo uso de respeitados sintetizadores como Jupiter 8 e Mini Moog, instrumentos estes que já não se enquadravam mais em muitas bandas que começavam a traçar novos caminhos, por assim dizer. Os anos 80 não fez muito bem ao gênero progressivo...

Qualidade de áudio média porém, muito recomendada. Arquivo disponibilizado em FLAC para uma melhor apreciação.


TRACKS:

1. He Knows You Know
2. Grendel
3. Garden Party
4. Chelsea Monday
5. Three Boats Down From the Candy
6. The Web
7. Forgotten Sons
8. Margaret
9. Charting the Single


MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

segunda-feira, 18 de março de 2019

[DIVULGAÇÃO] 20 ANOS DA ORQUESTRA MINEIRA DE ROCK - 22 de MARÇO - KM DE VANTAGENS HALL - BELO HORIZONTE


A Orquestra Mineira de Rock comemora seus 20 anos em um espetáculo que promete fortes emoções aos admiradores do bom e velho Rock n´Roll. 

O Progrockvintage, mais uma vez, marcará presença nesse momento importante para a OMR.

Confira no texto abaixo disponibilizado pela assessoria de imprensa (ABC Comunicação):


"O show mais grandioso da carreira até agora! É isso que prometem os integrantes da Orquestra Mineira de Rock - formada por três das principais bandas de rock autoral de Minas Gerais – Cartoon, Cálix e Somba, sobre o espetáculo que apresentarão no dia 22 de março, às 22h, no Km de Vantagens Hall. É a primeira vez do grupo na casa de shows.

 Por isso, um repertório especial está sendo preparado, - Beatles, Queen, Yes, Led Zepellin -, autorais, músicas eruditas e, claro, que dará ênfase a cultura mineira.

“Estamos encarando como o maior show da história da OMR porque é a 1ª vez que produzimos algo assim, num lugar tão grande, na maior casa de BH que é o Km de Vantagens Hall. Além disso, este evento marca a entrada na orquestra da produtora Cadoro, representada pelo Carlos Alberto Xaulim, que passa a ser o empresário do grupo”, explica Khadhu Capanema, líder do Cartoon.


Foto: Vitor Maciel (OMR divulgação oficial)

“Este show vem também para testar nosso potencial, tanto do ponto de vista artístico e criativo quanto de público. Até a onde podemos chegar? O que mais podemos crescer em termos de apresentação, de qualidade? Quem mais pode se interessar pela nossa música? Qual o nosso limite? São perguntas que esperamos que esse show venha responder”, comenta Renato Savassi, líder do Cálix. 

“É uma expectativa muito grande para todos nós! Vai ser um show com mais arranjos novos, um lugar novo e tudo isso vai deixar admirado quem já viu nosso show e até mesmo quem nunca viu. Será mais surpreendente”, comemora Guilherme Castro, líder do Somba.

A ideia do grupo também é oferecer uma experiência diferente. “Este show tem muitos diferenciais: o próprio lugar em que as pessoas poderão ficar em pé, dançar, se divertir, descontrair, tomar uma cervejinha numa boa. Além disso, vão ter muitas novidades interessantes em relação ao cenário, ao som, entre outros”, explica Khadhu.

No palco, para se ter ideia, os 13 músicos dividem espaço com marimba de vidro, esraj, duas baterias, percussão, quatro guitarras, dois teclados, três baixos, entre outros. Uma grande estrutura para uma grande apresentação!

“No Km de Vantagens o público pode esperar o que a gente tem oferecido em todos os shows: um destaque da orquestra, mas não só a coisa coletiva da gente tocar todos juntos, os talentos individuais sendo destacados e surpreendendo. É assim que pretendemos impactar as pessoas com as surpresas que vamos apresentar”, comenta Renato.

“O público vai ver o rock que é nossa marca com um pouco mais de lirismo, do lúdico. Vamos apresentar um show novo, melhor em termos de repertório e esperamos que as pessoas gostem e se divirtam”, diz Guilherme.

Com a entrada da Cadoro, o projeto é levar o show para outras cidades. “Já temos uma viagem marcada para o meio do ano quando vamos tocar em um Festival em Guaçui (ES). E a ideia é essa, cair na estrada e apresentar nosso espetáculo em outras cidades de Minas e do Brasil”, conta Khadhu".


Ficha Técnica:

Produção Executiva: Nilson de Oliveira
Produtora Cadoro: Carlos Alberto Xaulim
André Cabelo - Técnico PA
Alberoni Grossi - Técnico Monitor
Vicente Baka – Iluminação
Roadies: 
Janer "Cenoura" Sumayo
Ivan "Feinho" Grossi
André Peluso
Mídias Sociais: Mentes Sociais - Bernardo Cançado
Assessoria de Imprensa: Paulinha Bicalho – ABC Comunicação


SERVIÇO:

Show Orquestra Mineira de Rock
Data: 22 de março de 2019, sexta
Horário: 22h
Local: Km de Vantagens Hall 
(Av. Nossa Senhora do Carmo, 230 – Savassi)
Ingressos: R$70 (inteira) R$35 (meia-entrada) - 2º lote
Venda online: https://bit.ly/2RVurXc

Facebook: https://www.facebook.com/orquestramineiraderock

Sites das bandas:
Cartoon: www.cartoon.mu
Cálix: www.calix.com.br
Somba: www.sombagulho.com




segunda-feira, 11 de março de 2019

[FLAC] ROXY MUSIC - Live in Modena - 1973



Logo no início da carreira, o Roxy Music já era considerado uma banda de Art Rock onde seus figurinos extravagantes e a excentricidade de suas performances, trouxeram uma veia criativa de bastante entrosamento entre o vocalista Brian Ferry que, insistia em uma pegada mais pop e exótica, mesclado ao experimentalismo alucinador de Brian Eno, um dos maiores instrumentistas de todos os tempos. 

A banda também contava com o excelente guitarrista e produtor Phil Manzanera, que já havia gravado um único porém, essencial disco em 1970 com o Quiet Sun (banda de curta carreira vinda de Canterbury). Em sua longa trajetória, Manzanera contribuiu com diversos artistas de extrema importância como o próprio Eno e até mesmo Sérgio Dias dos Mutantes nos anos 90. Foi um dos produtores dos dois últimos discos de estúdio de David Gilmour e co-produziu o 'Endless River' do Pink Floyd. Além de muitos outros, incluindo artistas brasileiros. 

Os dois primeiros discos do Roxy Music, os únicos com participação de Eno, são verdadeiras obras-primas, muito caracterizados por impecável instrumentação que pendia muitas vezes para uma atmosfera pop e de muita originalidade. 

Gravado em Modena, Itália em 23 de maio de 1973, esse bootleg retrata exatamente a primeira fase da banda. Aqui encontramos faixas do disco homônimo lançado em 1972 e 'For Your Pleasure', lançado no ano seguinte e executado em quase sua integridade porém, fora de sua sequência original. 

Possuo essa gravação guardada já há alguns anos e sempre relutei em publicá-lo pela baixíssima qualidade do áudio contido, mesmo em FLAC. Os registros da primeira e fabulosa fase do Roxy Music são um tanto raros e quase impossíveis de achar portanto, mais uma vez, recomendo apenas aos colecionadores.  


TRACKS:

01. (Intro)_The Pride & The Pain
02. Do The Strand
03. Grey Lagoons
04. Beauty Queen
05. The Bogus Man
06. Ladytron
07. In Every Dream Home a Heartache
08. If There Is Something
09. Editions of You
10. Remake Remodel
11. Virginia Plain

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

ENTREVISTA AO BLOG FURIA 2112





NO DIA DE HOJE, 11/03, FOI PUBLICADA NO BLOG FÚRIA 2112 PELO AMIGO CARLOS ANTONIO RATAMERO, UMA PEQUENA ENTREVISTA CONTANDO UM POUCO SOBRE A TRAJETÓRIA DO PROGROCKVINTAGE EM SEUS 11 ANOS DE EXISTÊNCIA.



CONFIRA NO LINK!

quarta-feira, 6 de março de 2019

[FLAC] GENESIS - Live in Zürich - 1977



A era pós-Gabriel no Genesis, trouxe mudanças significativas no que diz respeito a qualidade ´progressiva' dos discos lançados após o brilhante The Lamb Lies Down on Broadway em 1975. Particularmente, a 'nova' fase que se iniciou na segunda metade da década de setenta até sua última reunião em 2007, nunca me encheu os olhos.

Porém, devo admitir que o disco Wind & Wuthering foi uma grande surpresa em termos de regularidade e proporções instrumentais, bem nivelado a qualidade com que a banda executava nos seus cinco primeiros registros (69-75).

Um outro fator relevante ao declínio progressivo do Genesis, foi a saída de Hackett logo após o encerramento da turnê do disco Wind & Wuthering. Turnê esta, que também passou pelo Brasil em três capitais, meses depois da apresentação do registro em questão. Os vocais praticados por Collins nesse registro em particular, são de bom nível e com a incrível habilidade de dividir as baquetas com as complexas letras do Genesis. Não é segredo pra ninguém que nunca fui fã assídua deste nobre baterista porém, reconheço suas características como um exímio músico mas que pouco me emociona com seus atributos vocais. (Não me joguem pedras!)

Gravado na cidade de Zurich, Suíça, em 02 de Julho de 1977, esse bootleg possui faixas que mesclam os dois discos em evidência, lançados no ano anterior e alguns dos melhores clássicos que se tornaram verdadeiros hinos do progressivo mundial. Além de cinco faixas bônus gravadas durante essa mesma turnê na Europa e EUA.

Por se tratar de um registro não-oficial, a qualidade sonora beira a perfeição e, certamente é melhor comparado a um bootleg gravado em São Paulo nesse mesmo ano. Disponibilizo em FLAC para uma melhor apreciação.

OBS: Para ilustrar melhor a importância dos bootlegs do Genesis, deixo aqui o link de um excelente artigo do amigo e músico Ronaldo Rodrigues para o site Consultoria do Rock. Vale a leitura!


TRACKS:

DISCO I:

01. Squonk
02. One for the Vine
03. Robbery, Assault and Battery
04. Inside and Out
05. Firth of Fifth
06. The Carpet Crawlers
07. In that Quiet Earth
08. Afterglow
09. I Know What I Like
10. Eleventh Earl of Mar

DISCO II:

01. Supper's Ready
02. Dance on a Volcano
03. Los Endos
04. The Lamb Lies Down on Broadway
05. The Musical Box

BÔNUS:

06. Myrtle the Mermaid (intro)
07. Your Own Special Way
(Dallas, 19 de Março de 1977)

08. All in a Mouses's Night
(Southampton, 20 de Janeiro de 1977)

09. The Knife
(London, 24 de Junho de 1977)

10. Lillywhite Lilith / The Waiting Room / Wot Gorilla
(London, 1º de Janeiro 1977)


MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

domingo, 3 de março de 2019

[FLAC] PINK FLOYD - Thirteen - 1977






Dentre os poucos e raros registros da tour dos discos Animals/Wish You Were Here em boa qualidade, esse é dos melhores. A qualidade é bem razoável mas também não é precária, nota-se que a gravação foi feita por alguma boa alma vinda da platéia. O começo das músicas são um pouco confusas devido aos gritos e assobios do público mas depois de alguns segundos ficam "perfeitas" em se tratando de um bootleg de gravação amadora.


Esse disco em questão foi gravado na Bélgica em 20 de Fevereiro de 1977 e conta com todas as faixas do meu mais que preferido disco do Floyd, Animals na íntegra e também com a execução completa do Wish You Were Here.

Muita gente pergunta se existe algum registro em vídeo dessa tour e eu respondo que não há em parte nenhuma da Terra. Os boatos são de que o único registro gravado em video foi o tão conhecido bootleg "Who Was Trained Not To Spit In The Fan" confiscado e guardado a sete chaves pelo nosso tão querido e sistemático Roger Waters após uma briga com um fã durante o show. Quem sabe um dia ele solta essa tal fita...

Minha coleção de VHS e DVDs do Floyd parece ter um buraco quando se trata dessa tour do Animals.

ATENÇÃO: Mesmo em FLAC, a qualidade do áudio é bem razoável. Portanto, destino esse bootleg somente aos colecionadores desse tipo de registro.


TRACKS:

DISCO 1:

1. Sheep
2. Pigs On The Wing (Part 1)
3. Dogs
4. Pigs On The Wing (Part 2)
5. Pigs (Three Diferent Ones)

DISCO 2:

1. Shine On You Crazy Diamond (Parts I - V)
2. Welcome To The Machine
3. Have a Cigar
4. Whish You Were Here
5. Shine On You Crazy Diamond (Parts VI - IX)
6. Money

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

[FLAC] YES - Circus of Heaven - 1979


Pela correria e falta de tempo em me dedicar para escrever uma resenha decente, irei 'trapacear' e aproveitar parte de uma publicação vinda do bootleg 'Tormato in the Round - 1978' ao qual publiquei alguns dias atrás fazendo, claro, algumas alterações pertinentes ao registro a seguir. 

Diferentemente do já citado, este registro possui qualidade de áudio superior incluindo duas faixas a mais tais como: 'Don´t Kill the Whale' (substituindo Parallels)  e 'Starship Trooper'. Além de uma faixa intitulada por 'Tour Song', cantada em francês em forma de agradecimento ao público de Quebec.

O álbum Tormato lançado em 78, foi o encerramento da fase em estúdio do YES nos anos 70. Disco interessante que marca a posterior saída de Wakeman (que retornou nos anos 90) e Anderson (em 83), com faixas mais curtas e comerciais, com a finalidade de atrair um público mais eclético ao progressivo. Particularmente, gosto muito do disco em sua integridade.

O registro a seguir foi gravado na cidade de Quebec, Canadá em 18 de Abril de 1979, já finalizando a longa tour de lançamento oficial do disco em questão. As faixas são bem distribuídas em uma espécie de resumo no que há de melhor na carreira do YES. 

 Aqui encontramos belas versões de faixas retiradas de discos como Close to the Edge, Fragile, Going for the One e claro, Tormato. 

Os destaques vão para os solos de Wakeman, executando um breve apanhado de 'Six Wives Of Henry VIII'; Howe com 'The Clap' e Anderson com um belo solo de Arpa em 'Awaken'. 

Mas o que me fez mesmo publicar este bootleg foi por um medley de aproximadamente 26 minutos com fragmentos de faixas como 'Time and a Word', 'Long Distance Runaround', 'Survival', 'Perpetual Changes' e 'Gates of Delirium' (pequeno trecho de Battle e Soon).

Como disse, a qualidade é de alto nível e em extensão FLAC para uma melhor apreciação.


TRACKS:

01. Close Encounters Of The Third Kind (introdução)
02. Siberian Khatru
03. Heart Of The Sunrise
04. Future Times/Rejoice
05. Circus Of Heaven
06. Time And A Word/Long Distance Runaround/Survival/The Fish (Schindleria Praematurus)/Perpetual Change/Soon
07. Don't Kill The Whale
08. The Clap
09. Starship Trooper
10. On The Silent Wings Of Freedom
11. Wakeman Solo
12. Awaken
13. Tour Song
14. I've Seen All Good People
15. Roundabout

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

sábado, 16 de fevereiro de 2019

[REPOST] YATHA SIDHRA - A Meditation Mass - 1974




Banda genial de um som extremamente viajado, cujo o nome já diz tudo: "meditação em massa". Trata-se de um disco lento, demorado composto por uma só faixa dividido em quatro suites que levam o ouvinte a uma outra dimensão, uma espécie de hipnose por 40 minutos.

A bela flauta de um desconhecido mas excelente músico Peter Elbracht e o Moog de Rolf Fichter são os instrumentos que mais se sintonizam no decorrer do disco.

 Mais um "one shot" de primeira que deve ser ouvido por inteiro, sem interrupções, só assim pude entender a verdadeira essência do disco. A primeira impressão é de que o registro seria mal digerido pelos fãs mais exigentes do prog alemão mas merece uma chance de ser apreciado por inteiro.Tenho certeza de que será uma bela viagem!!!


TRACKS:

1. A Meditation Mass Part 1
2. A Meditation Mass Part 2
3. A Meditation Mass Part 3 
4. A Meditation Mass Part 4

MEGA

sábado, 2 de fevereiro de 2019

[FLAC] ATOMIC ROOSTER - 2nd. British Rock Meeting - 1972



Certamente, o Atomic Rooster foi uma das mais importantes bandas que pertenceram ao movimento progressivo britânico, principalmente durante a primeira metade da década de setenta. 

Sua formação original era um trio de peso que contava com Carl Palmer, o baixista Nick Graham e o virtuoso tecladista Vicent Crane, sendo este último seu principal membro. Crane foi a alma da banda desde seu término em 83. 

AT se tornou um dos primeiros nomes a se identificar com o Heavy Prog reunindo atmosferas intrincadas em poderosos solos de Hammond, compassados a diferentes variações instrumentais entre baixo, guitarra e bateria.  

Após o lançamento do disco homônimo em 70, Palmer deixa a banda para se juntar ao lendário ELP. Crane decide então acrescentar ainda mais intensidade convidando o guitarrista Steve Bolton para se juntar ao trio, juntamente com o baterista Paul Hammond. Essa formação trouxe a tona também em 70, o disco de maior sucesso e um de meus favoritos, intitulado como 'Death Walks Behind You'. Essa mesma faixa abre a audição e possui uma das melhores e mais sinistras introduções de piano que conheço. 

Porém, neste raro bootleg contamos apenas com uma faixa do disco citado que, na minha opinião, vale por todo o registro. Gershatzer, faixa instrumental que inclui um impressionante duo entre o poderoso Hammond sincronizado a intensos solos de bateria. 

O registro mescla faixas dos quatro primeiros discos lançados entre os anos de 1970 e 1972 e ainda inclui uma versão interessante do single 'Devil´s Answer', lançado em uma compilação de faixas para um registro da BBC. 

Gravado em 22 de Maio de 1972 na Alemanha em uma ilha as margens do rio Reno, chamada Grün,  durante o festival 2nd British Rock Meeting, que reuniu não somente os principais nomes do progressivo britânico mas também alguns nomes de peso vindos de terras alemãs. 

Mesmo em FLAC, a qualidade é razoável porém, trata-se de um registro de extrema raridade ao qual merece toda a atenção dos verdadeiros admiradores do Rock Progressivo.


TRACKS:

01. Breakthrough
02. Save Me
03. A Spoonful Of Bromide Helps The Pulse Rate Go Down 
04. Black Snake
05. Stand by Me
06. The Devil´s Answer
07. Gershatzer

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, FAVOR REPORTAR NOS COMENTÁRIOS

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

CYKLUS - Planet of Two Suns - 1979


Antes de iniciar esta publicação, peço que não julguem o disco pela capa e que não o depreciem pelo seu ano de lançamento. 

Cyklus veio da Alemanha, em carreira meteórica lançando um único disco no fim dos anos 70 e desapareceu sem deixar pistas. A banda surgiu após a saída de dois membros da excelente e também alemã Aera, incluindo o tecladista Achim Gieseler e o baixista Matz Steinke.

Som instrumental em sua totalidade partindo para um fusion mais descontraído, intercalado a esporádicas atmosferas de certo peso. A cozinha baixo/bateria funciona em perfeita consonância, seguida por suntuosos solos de guitarra de muita criatividade e qualidade, em constantes variações harmônicas. 

A banda não é adepta a nenhum tipo de metal, não faz uso de sax ou flauta por exemplo. Confesso que na primeira audição, notei que os diferentes timbres de teclado soavam um pouco defasados, não se contrastando com o bom entrosamento entre os outros instrumentos. 

Após ouvir novamente na íntegra e com uma percepção menos crítica concluí que, fatalmente trata-se um registro do fim dos anos 70 onde os órgãos analógicos já estavam começando a ficar um tanto ultrapassados. O progressivo e o fusion já começavam a respirar novos ares e começaram a aderir aos instrumentos digitais. 

Contudo, o criativo Achim Gieseler, conseguiu de certa forma, amenizar essa 'transição', contribuindo de forma essencial para o bom andamento do disco. As duas últimas faixas são belíssimas e conduzidas por um denso simulador de piano que paga por todo o registro. Vale lembrar que esse mesmo músico, tocou em duas faixas do disco RA da banda Eloy em 1988.

O disco foi lançado pela extinta gravadora alemã, Erlkönig em 1979 e não foi relançado em CD até o presente momento. Consegui essa cópia através de contato com um senhor alemão que, com muito capricho, me enviou há alguns anos, algumas cópias em CD muito bem gravadas direto de raros discos de vinil. 

Fico aqui com a certeza de que esse é um registro que certamente irá agradar a maioria dos que passam por aqui. Apenas dê uma chance, sem pré-julgamentos...


TRACKS:

01. Airflow
02. Nito 
03. Planet Of Two Suns
04. Funky Depression 
05. Zeitblende 
06. Wolken 
07. Water And Sun 
08. Ocean's Gift 

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

sábado, 12 de janeiro de 2019

[REPOST-FLAC] YES - Madison Square Garden - 1977


Após o hiato de mais ou menos três anos em estúdio entre os lançamentos dos excelentes e essenciais discos Relayer e Going For The One, o YES volta aos palcos com uma de suas melhores tours que marca a importante volta de Wakeman aos palcos. Nesse show, em particular, percebe-se uma energia muito calorosa e um entrosamento marcante entre os membros da banda.

 Essa formação (Wakeman, Anderson, White, Squire e Howe) pra mim é a mais clássica, onde o progressivo é mais emblemático e a atmosfera criada por Anderson é ainda mais contagiante.


Esse belo espetáculo ocorreu durante a tour mundial do já citado Going For The One em 7 de Agosto de 1977 no Madison Square Garden em Nova York onde os americanos ficaram extasiados diante a tanta beleza. A pessoa que gravou esse bootleg percorreu várias cidades americanas atrás do YES e registrando a maioria dos shows em áudio.

 Esse que vos apresento é um dos melhores em termos de harmonia e criatividade. Um exemplo disso é a linda versão de Awaken executada com maestria por Wakeman acompanhado da doce e mística voz de Anderson. Inclusive, creio que esta música em particular, tenha sido a última composição progressiva do YES. 

Destaco também uma de minhas favoritas, Parallels, onde Wakeman levado por uma espécie de órgão de igreja, faz juntamente com Howe uma parceria eletrizante! 

Tenho o YES como uma das minhas bandas mais queridas, foi meio que o começo de tudo nessa minha trajetória musical, portanto, sou meio suspeita em relação as minhas opiniões formadas sobre a banda. Gosto de praticamente todas as fases e formações, desde o primeiro disco, passando pelo tão criticado mas ótimo 90125 até o coitado do Fly From Here que, por mais esforço que eu faça, não dava pra engolir o tal do Benoit David. Até que ele não decepcionou muito no show de São Paulo em 2010 mas o que parecia mesmo era que tava faltando alguma coisa naquele show... 

Devo enfatizar que a qualidade do áudio não é tão espetacular mas como nem todos os bootlegs são perfeitos, fiz questão de compartilhar esse belo espetáculo em formato FLAC para uma melhor apreciação dos mais exigentes. 




TRACKS:

01. Firebird Suite  
02. Parallels  
03. I've Seen All Good People 
04. Close To The Edge  
05. Wonderous Stories  
06. Colors Of The Rainbow  
07. Turn Of The Century 
08. And You And I  
09. Flight Jam  
10. Awaken  
11. Starship Trooper  
12. Roundabout  
13. Yours Is No Disgrace  

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

YES - Tormato in the Round - 1978


O álbum Tormato lançado em 78, foi o encerramento da fase em estúdio do YES nos anos 70. Disco interessante que marca a posterior saída de Wakeman (que retornou nos anos 90) e Anderson (em 83), com faixas mais curtas e comerciais, com a finalidade de atrair um público mais eclético ao progressivo. Particularmente, gosto muito do disco em sua integridade.

O registro a seguir foi gravado na cidade de Boston em 30 de Agosto de 1978, dias antes do lançamento oficial do disco em questão. As faixas são bem distribuídas em uma espécie de resumo no que há de melhor na carreira do YES. 

 Aqui encontramos belas versões de faixas retiradas de discos como Close to the Edge, Fragile, Going for the One e claro Tormato. 

Os destaques vão para os solos de Wakeman, executando um breve apanhado de 'Six Wives Of Henry VIII'; Howe com 'The Clap' e Anderson com um belo solo de Arpa em 'Awaken'. 

Mas o que me fez mesmo publicar este bootleg foi por "Big Medley" de aproximadamente 26 minutos com fragmentos de faixas como 'Time and a Word', 'Long Distance Runaround', 'Survival' (pasmem!), 'Perpetual Changes' e 'Gates of Delirium' (pequeno trecho de Battle e Soon).

A qualidade é boa mas por ser um registro ao vivo de alto nível do YES, vale o download!


TRACKS:

01. Siberian Khatru
02. Heart of the Sunrise
03. Future Times
04. Circus of Heaven
05. The Big Medley
06. Release Release
07. Howe Solo
08. Parallels
09. On the Silent Wings of Freedom
10. Wakeman solo
11. Anderson [harp] solo/Awaken
12. All Good People
13. Roundabout


MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

11 ANOS DO PROGROCKVINTAGE - 2007/2018


Apenas para não passar em branco, sinalizo que hoje 27/12, o Progrockvintage completa 11 anos de muitas histórias, bons registros musicais e merecidas divulgações de bandas nacionais de alto nível.

Que o ano de 2019 seja ainda mais repleto de boa música e saúde para os poucos porém, fiéis seguidores deste modesto espaço.

Agradeço a todos pelo incentivo de sempre!

Luciana Aun

domingo, 23 de dezembro de 2018

JETHRO TULL - Newport Pop Festival - 1969


Sem dúvida, o Jethro Tull é uma das bandas de progressivo a qual possui o início de carreira dos mais brilhantes. Trajando roupas desleixadas e vagabundas, parecendo mais um anacronismo de um conto de Charles Dickens, Anderson transmitiu uma antiga aura durante os anos de formação da banda no final dos anos 60 e início dos anos 70, que persistiria em diversas outras formações por décadas a fio emanando sempre muita qualidade e extrema criatividade em suas composições.

O registro a seguir, conta com faixas dos dois primeiros e essenciais discos do Tull lançados entre os anos de 1968 e 1969, This Was e Stand Up respectivamente. 

Gravado um mês antes do lançamento de Stand Up, a banda já havia se apresentado em território americano anteriormente e foi convidado a se apresentar no Newport Pop Festival na Califórnia ao lado de nomes como Hendrix, The Birds, Flock, Creedence, entre outros. 

A apresentação ocorreu no segundo dia do festival em 21 de Junho de 1969 com um setlist relativamente curto com duração aproximada de 60 minutos. 

A qualidade do bootleg é boa e certamente destinado aos admiradores desse tipo de registro.

TRACKS:

01. Nothing is Easy
02. A Song for Jeffrey
03. Back to the Family
04. Dharma for One
05. Martins Tune
06. For a Thousand Mothers

MEGA

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

U.K - Lost U.K Tapes - 1979



Costumo dizer que o U.K foi um dos últimos suspiros do nosso bom e velho rock progressivo que contava com nomes geniais e de muita importância para todo o êxito do gênero durante a década de 70. 

 A banda teve seu início em 1976 quando Wetton e Bruford se juntaram para gravar umas demos referentes a um álbum solo de Wetton que fracassou e nunca chegou a ser lançado. Empenhados por voltar aos estúdios e aos palcos, os dois resolvem procurar Fripp para uma possível volta do Crimson (em hiato na época), o "convite" não foi aceito e os dois partiram juntos para um projeto paralelo que acabou dando origem ao U.K.

O combinado era que cada um escolhesse um membro para dar o devido suporte nas guitarras e teclados. Wetton escolheu nada menos que Eddie Jobson (Jethro Tull, Curved Air, Zappa, Roxy Music) como tecladista e violinista, que por sinal, deu um diferencial absurdamente deslumbrante a banda. Já Bruford convidou o virtuoso  guitarrista Allan Holdsworth, figura de extrema importância quando o assunto é fusion. Chegou a tocar no ótimo disco Bundles do Soft Machine lançado em 75 e ainda fez parte do Gong por alguns anos antes de aceitar o convite de Bruford para integrar o U.K. Infelizmente, faleceu em 2017 aos 70 anos.

Em 78 a banda lança seu excelente álbum homônimo e sai em uma turnê de quatro longos meses pelos EUA. Acabada a turnê, Wetton despede Holdsworth por diferenças musicais e Bruford também acaba saindo por  ser um baterista mais voltado para o jazz/fusion e a proposta de Wetton para um novo álbum não o agradou.  

O U.K então passa a ser um trio composto pelo tão saudoso Wetton, Jobson e o grandioso baterista Terry Bozzio, fiel parceiro de Zappa nos anos 70. Em 79, lançam o ótimo Danger Money com uma nova roupagem e também muito bem aceito pelo público e crítica da época.

Esse bootleg foi gravado dias após do lançamento do segundo disco na Filadélfia em 24 de Março de 1979 e conta com um generoso setlist com quase todas as faixas dos dois álbuns lançados. Além de um belo solo de bateria executado por Bozzio e uma majestosa improvisação vinda do violino elétrico de Jobson.

Trata-se de um excelente bootleg executado com maestria por esse trio de competentes músicos que possuem um inigualável entrosamento de palco.

A qualidade do registro não é das piores, chegando a oscilar um pouco em alguns momentos mas nada que atrapalhe o humor dos ouvintes mais exigentes.


TRACKS:

1. Danger Money
2. The Only Thing She Needs
3. Nothing To Loose
4. Improvisation (Incl. Bass Solo)
5. By The Light Of Day
6. Presto Vivace
7. In The Dead Of  Night
8. Rendezvous 602
9. Thirty Years
10. Carrying No Cross
11. Violin Solo
12. Time To Kill
13. Caesar's Palace Blues

MEGA