domingo, 17 de janeiro de 2016

CAN - França - 1976



Até onde eu saiba são poucos os registros ao vivo não oficiais de bandas alemãs. Possuo alguns poucos bootlges do Grobschnitt, Eloy e Birth Control, ainda continuo garimpando mas hoje em dia é muito raro se achar coisas boas pela internet.

 Bons blogs especializados no assunto foram deletados ou deixados de lado e isso fez com que a demanda de bootlegs - principalmente os alemães - fosse sumindo. 
Também não conheco qualquer outro bootleg do Can e esse foi um achado apesar de possuí-lo desde 2006. 

Audio perfeito e todas as faixas conduzidas por Michael Karoli e o mais que competente tecladista Irmin Schmidt transmitem no decorrer do disco uma atmosfera de harmonia e caos. Esse é o Krautrock!

Esse bootleg foi gravado na cidade de Lion na França em Janeiro de 1976 e contém excelentes versões de faixas como "Vernal Equinox" (Landed 1975) embalada por "Vitamin C" (Ege Bamyasi 1972) e "Chain Reaction" (Soon Over Babaluma 1974).

Desconheco a  faixa "Citrus". Não sei se pertence a algum disco catalogado ou se trata de algum single, mesmo assim é uma excelente música.
Esse bootleg é uma verdadeira jóia e aos que gostam do estilo vão se surpreender.



TRACKS:

1. Intro
2. Citrus
3. Red Hot Indians
4. Dizzy Dizzy
5. Annoucment
6. Chain Reaction
7. One More Night
8.  - Vernal Equinox
     - More Spree
     - Vitamin C


domingo, 10 de janeiro de 2016

CAPITOLO 6 - Frutti Per Kagua - 1972




Grupo italiano formado no começo dos anos 70 a partir da fusão entre duas bandas falidas da região da Toscana. Formou-se então um quinteto liderado pelo tecladista Jimmy Santerini e pelo baterista Luciano Casa, sendo que neste caso, Casa tocava apenas violão de 12 cordas e ajudava nos vocais. 

A banda teve seu auge em 1971 quando assinou com a subsidiária italiana da gravadora RCA para lançar um disco que só foi consumado algum tempo depois. Nesse mesmo ano a banda participou de festivais em sua cidade natal, Viareggio e ainda chegou a abrir um show do Led Zeppelin em Roma para centenas de milhares de pessoas. 

Em 1972 a banda perde os dois principais membros sendo substituídos pelo excelente e já falecido tecladista Antonio Favilla e o flautista/sax Loriano Berti, que deixou a banda logo após o lançamento desse disco em questão.

Com todas essas estranhas mudanças na formação ao longo do curto período de sua duração, a banda conseguiu manter uma essencial qualidade no que diz respeito a técnica de seus músicos com a perfeita harmonia vocal do também baterista Lorenzo Donati. 

O disco é composto por apenas cinco mas grandiosas faixas sendo a primeira delas uma verdadeira joia digna ao que conhecemos por progressivo italiano. A faixa de quase 19 minutos dá nome ao disco e é conduzida com extrema perfeição por Berti com belíssimas passagens de flauta em todo o seu decorrer. Em certos momentos nota-se uma nítida semelhança ao estilo Ian Anderson de se conduzir o instrumento mas sem esquecer do toque sutil que só o progressivo italiano pode oferecer aos ouvidos dos mais exigentes.

A segunda parte do disco é composta de faixas menores com vocais bastante expressivos, dando mais ênfase as passagens de violão e guitarra se mesclando a tenros solos de Moog acompanhado de um tímido, porém, belíssimo Hammond.

Infelizmente, a banda se dissolveu após o lançamento desse disco que, por incrível que pareça, não atingiu o sucesso esperado tanto por seus membros quanto pela gravadora. Sabe-se que Favilla se juntou a uma suposta segunda formação do Campo di Marte alguns anos depois que também não obteve sucesso.

Tenho esse disco em particular como obra essencial a minha lista de bandas italianas. Além dos poderosos medalhões, o Capitolo 6 certamente foi peça fundamental para o desenvolvimento do progressivo italiano no começo da década de 70. 

Hoje paga-se muito por esse raro registro lançado originalmente em 1972 pelo selo Ricordi It (RCA) que continha na capa interna o índio de corpo inteiro. Em 1994, o salvador selo italiano Mellow Records relança o disco em CD tornando possível o acesso dos fãs a uma bela raridade como essa. 
 



TRACKS:

1. Frutti per Kagua
2. Grande spirito
3. Il tramonto di un popolo
4. L'ultima notte 
 




terça-feira, 29 de dezembro de 2015

GENTLE GIANT - Hollywood Bowl - 1972

BOOTLEG POSTADO ORIGINALMENTE EM 25/03/2009



Bootleg muito interessante e um dos mais procurados pelo fãs do GG. 
Simplesmente porque nesse mesmo dia, a banda fazia a abertura de um show do Sabbath quando um headbanger louco jogou uma bombinha no palco atrapalhando a introdução da música Funny Ways. Um dos irmãos Shulman, parou o show, deu uma bronca no carinha e prosseguiu normalmente. 
No decorrer da apresentação, nota-se que os americanos não gostavam nada do que viam...

Esse registro foi gravado no estádio Hollywood Bowl na cidade de Los Angeles, em 15 de Setembro de 1972. A gravação não é de qualidade exemplar mas vale o belo registro. 

O disco é um tanto curto mas conta com cinco clássicos que fizeram do GG a banda mais criativa do gênero progressivo.




TRACKS:

1. Prologue
2. Alucard
3. Cherry Bomb
4. Funny Ways
5. Nothing At All
6. Plain Truth


domingo, 20 de dezembro de 2015

PREMIATA FORNERIA MARCONI - Reading Festival - 1973



Eis um registro interessante...

Gravado em 26 de Agosto de 1973 durante o Reading Festival na Inglaterra, o PFM fechou o festival em que antes haviam tocado bandas de renome no mundo progressivo como Genesis, Embryo, Magma, Stray Dog, entre outras.

 O curioso desse registro foi o fato da organização do festival ter boicotado o show do PFM no meio da faixa La Carrozza di Hans cortando a energia e dando por encerrado o festival sem aviso prévio. Uma pena pois se trata de uma bela apresentação do PFM tendo como o ponto alto do show uma jam sensacional a qual nunca tinha escutado nada parecido quando se trata do PFM..

Bela gravação e um ótimo presente aos colecionadores.


TRACKS:

1- Introduction
2- River Of Life
3- Mr. 9 Till 5
4- Instrumental Jam
5- Photos of Ghosts
6- La Carrozza Di Hans
7- Outro


YANDEX

domingo, 13 de dezembro de 2015

APOTEOSI - Apoteosi - 1975



Quinteto italiano de excelente qualidade liderada por três irmãos e produzidos pelo próprio pai. A banda contava com os filhos: Silvana Idà nos vocais, Federico Idà no baixo e flauta e o caçula Massimo Idà nos teclados. Esse último tinha 14 anos quando o disco foi lançado e que por sinal, deixa qualquer tecladista de renome no chinelo.

O moleque conduzia um piano, um Hammond e um Moog com tanta excelência e familiaridade que possivelmente deixaria Franco Mussida e Flavio Premoli babando!

Trata-se de um progressivo bastante sinfônico conduzido pelo lindo vocal de Silvana que dá um belo toque feminino ao progressivo italiano que, comumente é executado por fortes vocais masculinos. Silvana provavelmente deve ter se inspirado muito na leveza da mais foda de todas: Annie Haslam.

O baterista Marcello Surace também se destaca bastante por belas passagens de bateria e viradas sensacionais.Federico Idá também dá um show nas flautas fazendo com que o disco fique ainda mais espetacular, seus solos fazem lembrar a maravilhosa fase de Gabriel no Genesis.

Destaco as duas primeiras faixas das quais mostram o que realmente era o progressivo italiano sinfônico e instrumental de qualidade naquela época. 


TRACKS:

1. Embrion
2. Prima Realta / Frammentaria Rivolta
3. Il Grande Disumana / Oratori (Chorale) / Attesa
4. Dimensione Da Sogno
5. Apoteosi



domingo, 29 de novembro de 2015

GENESIS - Alone Within A Storm - 1972



Mais um bootleg gravado durante a tour do Nursery Crime em dia 22 de Agosto de 1972 na cidade italiana de Genova.


Mesmo com 320 kbps, o áudio encontra-se um pouco abafado. Portanto, não é recomendado para os mais exigentes em termos de um áudio mais limpo. Aos colecionadores e fãs aficionados é um prato cheio.

 Destaco sempre a maravilhosa faixa "Fountain Of Salmacis" que, como sempre, é interpretada de maneira exemplar, gosto mais dessa faixa ao vivo do que a versão original gravada em estúdio. 
"Seven Stones" também se destacada por todo sua beleza, dando um toque a mais ao perfeito setlist executado naquela noite.

TRACKS:

1. Watcher Of The Skies
2. Can Utillity And The Coastliners
3. Fountain Of Salmacis
4. Twilight Alehouse
5. Seven Stones
6. Musical Box
7. The Return Of The Giant Hogweed
8. The Knife


domingo, 15 de novembro de 2015

PINK FLOYD - BBC Sessions - 1967



Bootleg que reúne diferentes datas de gravações pela londrina rede de rádio e tv BBC durante o ano de 1967.


As faixas 1 a 4 foram gravadas no BBC Centre em 14 de Maio, nessa última faixa encontramos uma bela entrevista de Barrett e Waters.

As faixas 5 a 10 foram gravadas no BBC Playhouse Theater em 1° de Outubro mas foram ao ar em 5 de Novembro.

Já a última parte contém faixas gravadas no Maida Valle Studios em 20 de Dezembro que foram ao ar no dia 31 do mesmo mês.



TRACKS:

01. Pow R Toc H/Intro by Robert Robinson
02. Hans Keller Intro
03. Astronomy Domine
04. Roger & Syd Interviewed by Hans Keller
05. Set The Controls For The Heart Of The Sun
06. Reaction In G
07. Flaming
08. The Gnome
09. The Scarecrow
10. Matilda Mother
11. Vegetable Man
12. Scream Thy Last Scream
13. Jugband Blues
14. Pow R Toc H




sábado, 31 de outubro de 2015

THE COSMIC JOKERS

The Cosmic Jokers foi um projeto formado por intelectuais do movimento Krautrock lançando cinco importantes registros no ano de 1974.

Esse projeto era liderado por nomes como Klaus Shulze, Manuel Göttsching (Ash Ra Tempel), Harald Grosskopf (Wallenstein) e tinham como único objetivo abusar do experimentalismo combinado a uma atmosfera espacial bem ácida, com improvisações alucinantes.

Disponibilizo dois desses registros postados anteriormente por aqui em 2009 que, ao meu ver, são os melhores em termos de improviso e passagens obscuras. 
Um prato cheio aos apreciadores da música experimental alemã.

 

GALACTIC SUPERMARKET


Krautrock da melhor qualidade, o disco parece mais uma viagem a outra dimensão de psicodelia. Uma pena que esse excelente projeto teve poucos registros lançados, considero o Cosmic Jokers como uma das mais criativas modalidades da cena Krautrock.

Esse registro que posto aqui é composto apenas de duas faixas extremamente viajantes.Com um time de primeira qualidade, esse disco conta com o grandioso mestre dos sintetizadores Klaus Schulze misturado com os ácidos solos de guitarra do virtuoso Manuel Göttsching.

TRACKS:

1. Kinder des Alls 
2. 
Galactic supermarket




Planeten Sit-In - 1974


Excelente disco de características diferentes ao postado anteriormente. Esse disco contem faixas mais retalhadas com temas de curta duração compostos por pequenos fragmentos sonoros das extensas sessões de gravação, editados e misturados para dar uma ideia de continuidade ao longo do disco. Pra mim esse é o disco mais louco da banda.


TRACKS:

1. Raumschiff Galaxie startet 
2. The planet of communication 
3. Elektronenzirkus 
4. Der Narr im All 
5. Raumschiff Galaxie fliegt in die Sonne 
6. Intergalactic nightclub 
7. Loving frequencies
8. Electronic news 
9. Intergalactic Radio Guri broadcasting 
10. Raumschiff Galaxy gleitet im Sonnenwind 
11. Interstellar rock: Kosmische Musik 
12. Raumschiff Galaxy sanst in die Lichtbahnen 
13. 
Die Planet des Sternenmädchens