domingo, 16 de junho de 2019

[FLAC] GROBSCHNITT - Oldenburg - 1975


Quem me conhece sabe que o Grobschnitt figura no topo da minha lista de bandas favoritas e foi quem me abriu as portas para o progressivo alemão como um todo. A razão deste modesto espaço ser recheado de dezenas de bandas alemãs das mais diversas vertentes, é por culpa deste excelente grupo que me fez aprofundar ainda mais pelo universo do progressivo vindo dos mais profusos cantos da Alemanha Ocidental.

Uma das melhores e mais criativas bandas da história, o Grobschnitt se consagrou especialmente pela excentricidade de suas melodias, letras um tanto tolas e geniais intrumentações. Alguns de seus discos são de complexa e difícil audição mas que possuem certa genialidade na grande maioria de suas inúmeras composições. 

Suas apresentações ao vivo giravam em torno de um espetáculo cênico, onde o grupo teatralizava todas as canções em uma exibição que mesclava circo, progressivo de muita qualidade, humor e crítica social. Os shows ultrapassavam cerca de três horas de duração com caixas em volumes um tanto tortuosos aos espectadores mais desavisados.  

O grande nome por trás de toda essa excentricidade é o baterista Joachim Heinz Ehrig, mais conhecido como Eroc que fundou e liderou a banda por mais de uma década. Dono de uma voz inconfundível e um exímio instrumentista, foi o maior responsável por todo o sucesso do Grobschnitt, além de possuir um trabalho solo impecável com discos lançados entres os anos de 1975 a 1987 que valem a pena conferir.

Com o passar dos anos, a banda lançou oficialmente diversos CDs dos inúmeros shows que fizeram por grande parte da Europa nos anos 70 e os disponibilizou em formato Boxset para venda livre. O registro que disponibilizo hoje é um bootleg (não-oficial) de uma pequena parte de uma apresentação realizada durante a tour do disco Jumbo, gravado oficialmente em duas versões no ano de 1975. Uma versão em alemão e a outra em inglês. O bootleg gira em torno do disco citado (versão em língua inglesa), acrescido de uma longa introdução e da faixa Der Westner, tocada apenas ao vivo. 

Essa apresentação foi gravada em 1975 na cidade de Oldenburg, com qualidade abaixo do desejado. Procuro manter sempre o alto nível dos bootlegs em termos de áudio por aqui mas como se trata de um registro raro, resolvi disponibilizá-lo no Progrockvintage para a apreciação de todos. 


TRACKS:

01. Introduction
02. Der Western
03. The Excursion Of Father Smith
04. The Clown
05. Sunny Sunday's Sunset 

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.


quarta-feira, 12 de junho de 2019

[FLAC] GONG - Bremen 1974


O Gong teve seu início quando o saudoso Daevid Allen se mudou de Paris para a Inglaterra em 1961 onde alugou um quarto em uma pequena aldeia nas proximidades de Kent e conheceu lá o filho do proprietário da casa, nada menos que Robert Wyatt, na época com apenas 16 anos. Formaram então o Daevid Allen Trio que, mais tarde se juntaria aos remanescentes do Wilde Flowers (leia-se Kevin Ayers e Wyatt) e formariam o embrião do Soft Machine.

Após uma tour pela Europa, Allen tem problemas com seu visto e é impedido de entrar novamente na Inglaterra tendo assim que retornar a Paris. 

Chegando lá conheceu sua eterna musa e parceira Gilli Smyth, os dois formaram a primeira encarnação do Gong, que se desmanchou durante a Revolução Estudantil de 1968, quando Allen e Smyth foram obrigados a ir para Majorca, na Espanha. Lá eles conheceram o saxofonista Didier Malherbe, que morava em uma caverna na aldeia de Deya.

Durante esse período o cineasta Jerome La Perrousaz os convidou para voltar à França para gravar trilhas sonoras para seus filmes. Eles também conseguiram um contrato com a gravadora independente BYG, gravando os discos 'Magick Brother, Mystic Sister' e 'Bananmoon', este último um trabalho solo de Allen.


Em 1971, a banda decola com o lançamento do 'Camembert Electrique' que foi o primeiro álbum a retratar a mística história do personagem central, Zero The Hero incluindo os Pot Head Pixies do Planeta Gong e o Radio Gnome Invisible.


Entre os anos de 73 e 74 lançaram a trilogia Radio Gnome Invisible (Flying Teapot, Angels Egg, You) onde se continuava a saga de Zero The Hero. Todos os personagens,lugares e situações foram criados por Allen e Smyth durante muitas de suas viagens psicodélicas. 


Vale lembrar que esses três registros contam com a ilustre participação de Steve Hillage que, em minha modesta opinião, é um dos melhores guitarristas de todos os tempos e que muito contribuiu para o bom andamento do movimento Canterbury no começo dos anos 70. 

Outro nome que vale a pena ser citado é o de Tim Blake (Hawkwind), exímio tecladista que conduzia um VCS 3 como poucos, era capaz de fazer com que a timbragem desse poderoso sintetizador soasse ainda mais ácida e psicodelicamente absurda. 

O bootleg a seguir foi gravado logo após o lançamento do disco You (último volume da trilogia), na cidade de Bremen na Alemanha, em 04 de Novembro de 1974 e conta com um resumo altamente alucinante do que há de melhor na carreira dessa desenvolta banda. 

O registro foi retirado de uma rádio que captou o áudio da mesa de som e, posteriormente, foi transmitido pela mesma. Fico com a sensação de que não se trata da íntegra do show, apenas uma seleta escolha das faixas mais marcantes, além de uma seleção de músicas totalmente obscuras e desconhecidas por mim. 

Disponibilizado em FLAC para melhorar ainda mais a qualidade do áudio.


TRACKS:

01. Magick Mother Invocation / Master Builder
02. Perfect Mystery
03. Tropical Fish
04. I Never Glid Before
05. Sun Song (I Love It's Holy Mystery)
06. Flute Salad
07. Oily Way
08. Outer Temple 
09. Inner Temple 
    Gliss Gliss (Flying Teapot)
    A Sprinkling Of Clouds
10. You Can't Kill Me
11. On The Isle Of Everywhere
12. Get It Inner
13. Ya Never Blow Your Trip Forever
14. Why Don't You Try


MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

segunda-feira, 3 de junho de 2019

[DIVULGAÇÃO] LUIZ ZAMITH - LANÇA O CD INTROSPECÇÃO - CENTRO CULTURAL JUSTIÇA FEDERAL - RIO DE JANEIRO - 05 de JUNHO


O guitarrista Luiz Zamith lança já na próxima quarta, dia 05 de Junho, o belíssimo CD Introspecção que conta com uma banda de peso e um repertório instrumental recheado de muita qualidade.

Tive a honra em assisti-los de perto em 2017 e posso dizer que foi uma experiência incrível. Banda altamente entrosada com músicos de alto nível técnico em uma apresentação impecável. Altamente recomendado a quem admira o Rock Progressivo e a música erudita, influenciados também por uma pegada mais jazzy.

Veja abaixo a descrição de como será a apresentação a se realizar em 05 de Junho no teatro do Centro Cultural Justiça Federal na cidade do Rio de Janeiro:

"O guitarrista e compositor carioca lança seu primeiro CD autoral com composições instrumentais que mostram influências da música erudita, rock progressivo, jazz e MPB contemporânea. Das nove faixas do CD, seis foram gravadas ao vivo. É integrante da banda “Ícones do Progressivo” e participou da banda de progressivo sinfônico Vitral, com a qual gravou o CD “Entre as Estrelas”, lançado em 2017. Neste show Luiz Zamith será acompanhado por Alexandre Rabello (baixo), Elcio Cáfaro (bateria), Paulo Teles (flauta e sax soprano) e Ronaldo Rodrigues (teclados). Após o show, o guitarrista e demais músicos estarão autografando o CD, que estará sendo vendido no local por R$ 25,00".


SERVIÇO:

Luiz Zamith e banda
Local: Centro Cultural Justiça Federal (Avenida Rio Branco, 241 - Centro, Rio de Janeiro)
Data: Próxima quarta-feira, 05/06 ás 19hrs.
Ingressos a venda na bilheteria do teatro a preços acessíveis.


IMPERDÍVEL E ALTAMENTE RECOMENDADO!



segunda-feira, 27 de maio de 2019

FRAGILE - FRAGILE 1976



(Postado originalmente em Setembro de 2013 - Recuperação de link)

Banda de hard prog holandesa de muita criatividade e competência musical onde seus músicos são fascinantes e muito técnicos. Os solos de guitarra soam um tanto psicodélicos e poderosos e a execução dos vocais, cantados em inglês, nos transmitem uma certa obscuridade no decorrer do disco.

 Destaco a última faixa, a mais progressiva e longa de todo o registro.Essa foi mais uma das tantas bandas experimentais que mal lançaram apenas um álbum.

 Consta mais um boato já visto por aqui em outras postagens que o estúdio de gravação foi incendiado e perderam-se a maior parte das cópias. As que "sobreviveram" foram dadas a amigos e parentes.

 Em 2004 o disco foi remasterizado e lançado em CD. Mesmo assim não temos uma qualidade impecável de som mas essa é uma banda que merece ser ressuscitada.


TRACKS:

01. Sweet Introspect
02. Caroline Funk
03. Good Evening
04. Back On My Feet Again
05. Face To Face
06. So Sad
07. I Wonder

MEGA

terça-feira, 21 de maio de 2019

COSMIC CIRCUS MUSIC - Sternenmaskerade - 1972


(Publicado originalmente em Nov. de 2012)

Esqueça tudo o que você conhece ou já ouviu falar sobre Krautrock, progressivo alemão, música experimental e preste bastante atenção nessa magnífica e rara gravação que hoje vos disponibilizo. 

O Cosmic Circus Music foi um rápido projeto experimental criado por um trio de desconhecidos mas muito bem acompanhados por Tim Belbe, membro fundador e saxofonista da banda alemã Xhol Caravan, aqui encontramos Belbe conduzindo uma belíssima flauta.


Trata-se de uma edição totalmente rara e experimental baseada em acordes as vezes um tanto ácido de guitarra e muito bem elaborados, acompanhado de um poderoso baixo, liderada pela obscura percussão do baterista Ulrich Masshöfer que torna a audição desse registro ainda mais especial, justamente por conduzir com muita destreza o perfeito entrosamento entre seus membros e respectivos instrumentos. As passagens de flauta se tornam cada vez mais lindas e cativantes no decorrer dos mais de 45 minutos de execução de uma única faixa que dá nome a esse registro. 

As atmosferas chegam a variar bastante durante sua execução. Desde passagens mais brandas e melódicas até improvisações com bastante peso onde todos os instrumentos se mesclam de uma forma que somente os  alemães sabem como fazer, nos remetendo em variados momentos as áureas fases de bandas como Agitation Free, Yatha Sihdra e até mesmo o Xhol Caravan.

Por assim dizer, temos em mãos o que há de melhor em termos de rock progressivo experimental gravado ao vivo em um galpão vazio na cidade de Wiesbaden, com equipamentos básicos para a edição em fitas cassete. A qualidade é inferior justamente pela nítida precariedade da gravação.  

A cópia deste registro foi gentilmente cedida a mim em 2008 por um amigo alemão, residente na cidade de Leipzig, com a seguinte nota: "Kraut rarity of the highest order". 

Vale lembrar que essa gravação nunca foi comercializada diretamente, mas em 1972 a revista alemã German Sounds Magazine publicou uma matéria onde disponibilizava o endereço para contato a quem se interessasse em adquirir tal material.

Pela informação que me foi passada, possuo aqui a cópia da cópia do original, portanto a qualidade não é das melhores. Consegui garimpar alguns arquivos e achei gravações bem piores do que estas que disponibilizo hoje.

Correm boatos de que ainda neste ano o salvador selo Garden Of Delights remasterize e relance essa gravação em CD com mais uma faixa bônus de 30 minutos que pelo jeito não consta na gravação original dessa fita. 

Sei que muitos aqui gostam e tem o hábito de garimpar essas gravações mais raras e um tanto caseiras. Portanto, aproveitem, pois esse maravilhoso material muito me surpreendeu e me fez admirar ainda mais o progressivo alemão e suas vertentes.




TRACK:

1. Sternenmaskerade



YANDEX

domingo, 12 de maio de 2019

[FLAC] URIAH HEEP - San Diego - 1974


Na primeira metade da década de setenta, o Uriah Heep certamente foi uma das mais importantes bandas de rock da Inglaterra que, até nos dias atuais, é lembrada por seus clássicos álbuns e pelo grande dilema tanto discutido pelos fãs por se tratar de uma banda de Rock Progressivo (Heavy Prog) ou simplesmente uma banda de Hard Rock. Particularmente, fico com a primeira opção pelo menos no decorrer da primeira leva de sua extensa discografia, lançada entre os anos de 1970 e 1976. 

O culpado de toda essa minha convicção atende pelo nome de Ken Hensley que, na minha lista, figura entre os cinco maiores tecladistas de todos os tempos, onde estava sempre munido de um poderoso Hammond, acompanhado de belas harmonias de piano e suntuosos solos de Moog. Hensley também foi responsável pela autoria da grande maioria das composições da fase áurea da banda, além de contribuir com algumas passagens de guitarra e violão. 

Nessa publicação, temos a formação 'clássica' do Uriah Heep que contava com a extrema energia do vocal do falecido David Byron, contagiante e muito marcante em todos os momentos, a pesada cozinha baixo e bateria conduzida, pelo também falecido Gary Thain e Lee Kerslake respectivamente, que sempre dão um show a parte seja em estúdio ou ao vivo. Sem contar com os fortes riffs de guitarra do mestre Mick Box mesclados ao poderoso arsenal de Ken Hensley. 

Gravado em 08 de Fevereiro de 1974 em San Diego, CA, esse bootleg é constituído por faixas de discos altamente clássicos como Very 'Eavy...Very 'Umble, Salisbury, Look at Yourself, Magician´s Birthday, o recém lançado Sweet Freedom e o indispensável Demons and Wizards, sendo este último um dos melhores e mais importantes álbuns produzidos por uma banda inglesa nos anos 70. 

A qualidade do áudio encontra-se excelente e disponibilizado em FLAC para uma melhor apreciação.

TRACKS:

01. Easy Livin' 
02. Sweet Lorraine 
03. Stealin' 
04. July Morning 
05. Seven Stars 
06. Gypsy 
07. Drum Solo 
08. Sweet Freedom 
09. Look At Yourself 
10. Love Machine 
11. Medley: Roll Over Beethoven / Blue Suede Shoes / Hound Dog 

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

sábado, 4 de maio de 2019

RAINBOW - Bremen - 1980


Fundada e sempre liderada por Ritchie Blackmore, um dos melhores guitarristas do mundo, a banda Rainbow gravou oito álbuns de estúdio entre 1975 e 1995. O período entre 1975 e 1978 (também conhecido como a era Dio) seria lembrado como a encarnação mais importante de sua história. Hard rock de extrema qualidade, abriu o caminho para muitos nomes do Progressive Metal com seu virtuosismo musical e instrumental. A força de Blackmore em sua liderança, levou a banda a lançar centenas de álbuns ao vivo, em sua grande maioria não-oficiais.

O registro em questão ilustra uma fase diferente da banda dando destaque ao álbum 'Down to Earth' de 1979 com uma formação de peso que contava com:

- Graham Bonnet  (vocais)
- Ritchie Blackmore  (guitarra)
- Don Airey  (teclados)
- Roger Glover  (baixo)
- Cozy Powell  (bateria)

Gravado em 30 de Janeiro de 1980 no Stadthallen, na cidade alemã de Bremen. Aqui encontramos uma mescla da era Dio com ênfase no disco já citado. Destaque para as entrevistas de Blackmore, Powell e Glover. 

Bootleg dedicado aos fãs e colecionadores deste tipo de registro por ter sido gravado da platéia porém, em boa qualidade. 


TRACKS:

DISCO I

01. Intro
02. Eyes Of The World
03. Love's No Friend
04. Since You Been Gone
05. All Night Long
06. Catch The Rainbow

DISCO II

01. Lost In Hollywood
02. Man On The Silver Mountain
03. Blues
04. Will You Love Me Tomorrow
05. Long Live Rock 'n' Roll with Kill The King
06. Interview with Ritchie Blackmore
07. Interview with Cozy Powell
08. Interview with Blackmore & Glover

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

quinta-feira, 25 de abril de 2019

[FLAC] CAMEL - The Last Flight - 1975


É evidente a importância do álbum Snow Goose não somente para o Camel como também para o Rock Progressivo que se encontrava no ápice de sua existência no ano de 1975. Disco que marcou a carreira da banda e de muitos de seus fãs em diversas gerações. 

Esse bootleg foi gravado na cidade britânica de Reading em 18 de Dezembro de 1975, ano do lançamento do álbum em questão executado nesse registro em sua integridade. 

Além das lindas versões das suítes Rhayader e Snow Goose, aqui encontramos também excelentes execuções de The White Rider, Supertwister e Lady Fantasy, extraídas do excelente Mirage de 1974.

A qualidade do áudio é excelente e disponibilizado em FLAC para uma melhor apreciação. 


TRACKS:

01. The White Rider
02. Supertwister
03. Introduction to the Snow Goose
04. The Great Marsh
05. Rhayader
06. Rhayader Goes to Town
07. Sanctuary
08. Fritha
09. The Snow Goose
10. Migration
11. Rhayader Alone
12. Flight of the Snow Goose
13. Preparation
14. Dunkirk
15. Epitaph
16. Fritha Alone
17. La Princesse Purdue
18. The Great Marsh (reprise)
19. Hommage to the God of Light
20. Lady Fantasy

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

sexta-feira, 12 de abril de 2019

[FLAC] PINK FLOYD - BBC Archives 1967-69


Bootleg que reúne algumas das diversas gravações dos primórdios do Pink Floyd para a rede britânica de rádio e TV, BBC entre os anos de 1967 e 69.

O registro é dividido em dois discos com aparições em alguns programas de rádio como Top Gear (não confundam com o programa automobilístico), que já recebeu grande parte dos melhores artistas da época tais como Zeppelin, Kinks, Beatles, Cream, Who, dentre muitos outros...

 Aqui encontramos uma recheada coletânea ao vivo com a melhor a fase da banda, faixas clássicas e outras obscuras em belas versões.

A qualidade do áudio é excelente e vale como um ótimo achado já que algumas gravações dessa época eram, na maioria das vezes, um tanto precárias.


TRACKS:

DISCO I

Pow R Toc H (14 de Maio de 1967 “Look Of The Week”)
Astronomy Domine (14 de Maio de 1967 “Look Of The Week”)
The Gnome (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Scarecrow (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Set The Controls For The Heart Of The Sun (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Matilda Mother (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Reaction in G (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Flaming (25 de Setembro de 1967 “Top Gear”)
Green Onions (12 de Dezembro de 1967 “Tomorrow’s World”)
Instrumental (12 de Dezembro de 1967 “Tomorrow’s World”)
Vegetable Man (20 de Dezembro de 1967 “Top Gear”)
Scream Thy Last Scream (20 de Dezembro de 1967 “Top Gear”)
Pow R Toc H (20 de Dezembro de 1967 “Top Gear”)
Jugband Blues (20 de Dezembro de 1967 “Top Gear”) 

DISCO II

Instrumental (26 de Março de 1968 “The Sound Of Change”)
Set The Controls For The Heart Of The Sun (28 de Março de 1968 “Omnibus’ All My Loving”)
The Murderotic Woman (25 de Junho de 1968 “Top Gear”)
The Massed Gadgets Of Hercules (25 de Junho de 1968 “Top Gear”)
Let There Be More Light (25 de Junho de 1968 “Top Gear”)
Julia Dream (25 de Junho de 1968 “Top Gear”)
Point Me At The Sky (02 de Dezembro de 1968 “Top Gear”)
Baby Blue Shuffle In D Major (02 de Dezembro de 1968 “Top Gear”)
Embryo (02 de Dezembro de 1968 “Top Gear”)
Interstellar Overdrive (02 de Dezembro de 1968 “Top Gear”)
Daybreak (12 de Maio de 1969 “Top Gear”)
Nightmare (12 de Maio de 1969 “Top Gear”)
The Beginning (12 de Maio de 1969 “Top Gear”)
Beset By Creatures Of The Deep (12 de Maio de 1969 “Top Gear”)
The Narrow Way (12 de Maio de 1969 “Top Gear”)
Moonhead (20 de Julho de 1969 “Omnibus’ What If It’s Just Green Cheese?”)

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

quinta-feira, 28 de março de 2019

[FLAC] MARILLION - Live at Marquee Club - 1982



'Muitos sabem que durante muitos anos nunca fui muito fã do Marillion, sempre tentava ouvir um disco ou outro mas, até então nunca havia me convencido de que se tratava de uma banda de excelente qualidade para os padrões do Rock Progressivo que nascia no começo dos anos 80. Hoje em dia, em conversa com alguns fãs mais enérgicos, comecei a traçar um caminho de muitas surpresas e boas descobertas. Uma delas, foi esse excelente bootleg ao qual tenho em meu acervo por um bom tempo e nunca tinha parado para escutar com a merecida atenção. 


Posso dizer que me surpreendi bastante com a qualidade da banda e sua energia, ás vezes um tanto sombria, como o modo em que o grande Fish emanava em apresentações ao vivo. Sempre desdenhei de seus músicos e hoje quebro a cara ao saber o quão grandioso é o guitarrista Steve Rothery e o  quanto lidera com maestria um álbum tão lindo quanto o Script For a Jester´s Tear.


Devo salientar que a era Fish, sem dúvida, é a minha favorita mas, infelizmente, tenho muito respeito e pouco apreço pela continuidade dada a banda após a entrada de Steve Hogarth em 1988, originando uma nova roupagem em um estilo que foge um pouco ao meu conceito sobre Rock Progressivo'.


Gravado em 07 de Março de 1982 no Maequee Club em Londres,  essa apresentação ocorreu nos primórdios do Marillion, quase um ano antes do lançamento do primeiro e melhor álbum da banda, Script For a Jester´s Tear. 

Conta também com versões interessantes de  'Garden Party' e 'Forgotten Sons', além de faixas não-oficialmente lançadas mas excelentes como 'Charting the Single' e uma bela versão de 'Grendel', beirando seus 21 minutos de duração, com o destaque absoluto ás mais variadas e engenhosas passagens de teclados vindas de Mark Kelly. Músico ao qual tenho muita empatia pelo uso de respeitados sintetizadores como Jupiter 8 e Mini Moog, instrumentos estes que já não se enquadravam mais em muitas bandas que começavam a traçar novos caminhos, por assim dizer. Os anos 80 não fez muito bem ao gênero progressivo...

Qualidade de áudio média porém, muito recomendada. Arquivo disponibilizado em FLAC para uma melhor apreciação.


TRACKS:

1. He Knows You Know
2. Grendel
3. Garden Party
4. Chelsea Monday
5. Three Boats Down From the Candy
6. The Web
7. Forgotten Sons
8. Margaret
9. Charting the Single


MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

segunda-feira, 18 de março de 2019

[DIVULGAÇÃO] 20 ANOS DA ORQUESTRA MINEIRA DE ROCK - 22 de MARÇO - KM DE VANTAGENS HALL - BELO HORIZONTE


A Orquestra Mineira de Rock comemora seus 20 anos em um espetáculo que promete fortes emoções aos admiradores do bom e velho Rock n´Roll. 

O Progrockvintage, mais uma vez, marcará presença nesse momento importante para a OMR.

Confira no texto abaixo disponibilizado pela assessoria de imprensa (ABC Comunicação):


"O show mais grandioso da carreira até agora! É isso que prometem os integrantes da Orquestra Mineira de Rock - formada por três das principais bandas de rock autoral de Minas Gerais – Cartoon, Cálix e Somba, sobre o espetáculo que apresentarão no dia 22 de março, às 22h, no Km de Vantagens Hall. É a primeira vez do grupo na casa de shows.

 Por isso, um repertório especial está sendo preparado, - Beatles, Queen, Yes, Led Zepellin -, autorais, músicas eruditas e, claro, que dará ênfase a cultura mineira.

“Estamos encarando como o maior show da história da OMR porque é a 1ª vez que produzimos algo assim, num lugar tão grande, na maior casa de BH que é o Km de Vantagens Hall. Além disso, este evento marca a entrada na orquestra da produtora Cadoro, representada pelo Carlos Alberto Xaulim, que passa a ser o empresário do grupo”, explica Khadhu Capanema, líder do Cartoon.


Foto: Vitor Maciel (OMR divulgação oficial)

“Este show vem também para testar nosso potencial, tanto do ponto de vista artístico e criativo quanto de público. Até a onde podemos chegar? O que mais podemos crescer em termos de apresentação, de qualidade? Quem mais pode se interessar pela nossa música? Qual o nosso limite? São perguntas que esperamos que esse show venha responder”, comenta Renato Savassi, líder do Cálix. 

“É uma expectativa muito grande para todos nós! Vai ser um show com mais arranjos novos, um lugar novo e tudo isso vai deixar admirado quem já viu nosso show e até mesmo quem nunca viu. Será mais surpreendente”, comemora Guilherme Castro, líder do Somba.

A ideia do grupo também é oferecer uma experiência diferente. “Este show tem muitos diferenciais: o próprio lugar em que as pessoas poderão ficar em pé, dançar, se divertir, descontrair, tomar uma cervejinha numa boa. Além disso, vão ter muitas novidades interessantes em relação ao cenário, ao som, entre outros”, explica Khadhu.

No palco, para se ter ideia, os 13 músicos dividem espaço com marimba de vidro, esraj, duas baterias, percussão, quatro guitarras, dois teclados, três baixos, entre outros. Uma grande estrutura para uma grande apresentação!

“No Km de Vantagens o público pode esperar o que a gente tem oferecido em todos os shows: um destaque da orquestra, mas não só a coisa coletiva da gente tocar todos juntos, os talentos individuais sendo destacados e surpreendendo. É assim que pretendemos impactar as pessoas com as surpresas que vamos apresentar”, comenta Renato.

“O público vai ver o rock que é nossa marca com um pouco mais de lirismo, do lúdico. Vamos apresentar um show novo, melhor em termos de repertório e esperamos que as pessoas gostem e se divirtam”, diz Guilherme.

Com a entrada da Cadoro, o projeto é levar o show para outras cidades. “Já temos uma viagem marcada para o meio do ano quando vamos tocar em um Festival em Guaçui (ES). E a ideia é essa, cair na estrada e apresentar nosso espetáculo em outras cidades de Minas e do Brasil”, conta Khadhu".


Ficha Técnica:

Produção Executiva: Nilson de Oliveira
Produtora Cadoro: Carlos Alberto Xaulim
André Cabelo - Técnico PA
Alberoni Grossi - Técnico Monitor
Vicente Baka – Iluminação
Roadies: 
Janer "Cenoura" Sumayo
Ivan "Feinho" Grossi
André Peluso
Mídias Sociais: Mentes Sociais - Bernardo Cançado
Assessoria de Imprensa: Paulinha Bicalho – ABC Comunicação


SERVIÇO:

Show Orquestra Mineira de Rock
Data: 22 de março de 2019, sexta
Horário: 22h
Local: Km de Vantagens Hall 
(Av. Nossa Senhora do Carmo, 230 – Savassi)
Ingressos: R$70 (inteira) R$35 (meia-entrada) - 2º lote
Venda online: https://bit.ly/2RVurXc

Facebook: https://www.facebook.com/orquestramineiraderock

Sites das bandas:
Cartoon: www.cartoon.mu
Cálix: www.calix.com.br
Somba: www.sombagulho.com




segunda-feira, 11 de março de 2019

[FLAC] ROXY MUSIC - Live in Modena - 1973



Logo no início da carreira, o Roxy Music já era considerado uma banda de Art Rock onde seus figurinos extravagantes e a excentricidade de suas performances, trouxeram uma veia criativa de bastante entrosamento entre o vocalista Brian Ferry que, insistia em uma pegada mais pop e exótica, mesclado ao experimentalismo alucinador de Brian Eno, um dos maiores instrumentistas de todos os tempos. 

A banda também contava com o excelente guitarrista e produtor Phil Manzanera, que já havia gravado um único porém, essencial disco em 1970 com o Quiet Sun (banda de curta carreira vinda de Canterbury). Em sua longa trajetória, Manzanera contribuiu com diversos artistas de extrema importância como o próprio Eno e até mesmo Sérgio Dias dos Mutantes nos anos 90. Foi um dos produtores dos dois últimos discos de estúdio de David Gilmour e co-produziu o 'Endless River' do Pink Floyd. Além de muitos outros, incluindo artistas brasileiros. 

Os dois primeiros discos do Roxy Music, os únicos com participação de Eno, são verdadeiras obras-primas, muito caracterizados por impecável instrumentação que pendia muitas vezes para uma atmosfera pop e de muita originalidade. 

Gravado em Modena, Itália em 23 de maio de 1973, esse bootleg retrata exatamente a primeira fase da banda. Aqui encontramos faixas do disco homônimo lançado em 1972 e 'For Your Pleasure', lançado no ano seguinte e executado em quase sua integridade porém, fora de sua sequência original. 

Possuo essa gravação guardada já há alguns anos e sempre relutei em publicá-lo pela baixíssima qualidade do áudio contido, mesmo em FLAC. Os registros da primeira e fabulosa fase do Roxy Music são um tanto raros e quase impossíveis de achar portanto, mais uma vez, recomendo apenas aos colecionadores.  


TRACKS:

01. (Intro)_The Pride & The Pain
02. Do The Strand
03. Grey Lagoons
04. Beauty Queen
05. The Bogus Man
06. Ladytron
07. In Every Dream Home a Heartache
08. If There Is Something
09. Editions of You
10. Remake Remodel
11. Virginia Plain

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

ENTREVISTA AO BLOG FURIA 2112





NO DIA DE HOJE, 11/03, FOI PUBLICADA NO BLOG FÚRIA 2112 PELO AMIGO CARLOS ANTONIO RATAMERO, UMA PEQUENA ENTREVISTA CONTANDO UM POUCO SOBRE A TRAJETÓRIA DO PROGROCKVINTAGE EM SEUS 11 ANOS DE EXISTÊNCIA.



CONFIRA NO LINK!

quarta-feira, 6 de março de 2019

[FLAC] GENESIS - Live in Zürich - 1977



A era pós-Gabriel no Genesis, trouxe mudanças significativas no que diz respeito a qualidade ´progressiva' dos discos lançados após o brilhante The Lamb Lies Down on Broadway em 1975. Particularmente, a 'nova' fase que se iniciou na segunda metade da década de setenta até sua última reunião em 2007, nunca me encheu os olhos.

Porém, devo admitir que o disco Wind & Wuthering foi uma grande surpresa em termos de regularidade e proporções instrumentais, bem nivelado a qualidade com que a banda executava nos seus cinco primeiros registros (69-75).

Um outro fator relevante ao declínio progressivo do Genesis, foi a saída de Hackett logo após o encerramento da turnê do disco Wind & Wuthering. Turnê esta, que também passou pelo Brasil em três capitais, meses depois da apresentação do registro em questão. Os vocais praticados por Collins nesse registro em particular, são de bom nível e com a incrível habilidade de dividir as baquetas com as complexas letras do Genesis. Não é segredo pra ninguém que nunca fui fã assídua deste nobre baterista porém, reconheço suas características como um exímio músico mas que pouco me emociona com seus atributos vocais. (Não me joguem pedras!)

Gravado na cidade de Zurich, Suíça, em 02 de Julho de 1977, esse bootleg possui faixas que mesclam os dois discos em evidência, lançados no ano anterior e alguns dos melhores clássicos que se tornaram verdadeiros hinos do progressivo mundial. Além de cinco faixas bônus gravadas durante essa mesma turnê na Europa e EUA.

Por se tratar de um registro não-oficial, a qualidade sonora beira a perfeição e, certamente é melhor comparado a um bootleg gravado em São Paulo nesse mesmo ano. Disponibilizo em FLAC para uma melhor apreciação.

OBS: Para ilustrar melhor a importância dos bootlegs do Genesis, deixo aqui o link de um excelente artigo do amigo e músico Ronaldo Rodrigues para o site Consultoria do Rock. Vale a leitura!


TRACKS:

DISCO I:

01. Squonk
02. One for the Vine
03. Robbery, Assault and Battery
04. Inside and Out
05. Firth of Fifth
06. The Carpet Crawlers
07. In that Quiet Earth
08. Afterglow
09. I Know What I Like
10. Eleventh Earl of Mar

DISCO II:

01. Supper's Ready
02. Dance on a Volcano
03. Los Endos
04. The Lamb Lies Down on Broadway
05. The Musical Box

BÔNUS:

06. Myrtle the Mermaid (intro)
07. Your Own Special Way
(Dallas, 19 de Março de 1977)

08. All in a Mouses's Night
(Southampton, 20 de Janeiro de 1977)

09. The Knife
(London, 24 de Junho de 1977)

10. Lillywhite Lilith / The Waiting Room / Wot Gorilla
(London, 1º de Janeiro 1977)


MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.

domingo, 3 de março de 2019

[FLAC] PINK FLOYD - Thirteen - 1977






Dentre os poucos e raros registros da tour dos discos Animals/Wish You Were Here em boa qualidade, esse é dos melhores. A qualidade é bem razoável mas também não é precária, nota-se que a gravação foi feita por alguma boa alma vinda da platéia. O começo das músicas são um pouco confusas devido aos gritos e assobios do público mas depois de alguns segundos ficam "perfeitas" em se tratando de um bootleg de gravação amadora.


Esse disco em questão foi gravado na Bélgica em 20 de Fevereiro de 1977 e conta com todas as faixas do meu mais que preferido disco do Floyd, Animals na íntegra e também com a execução completa do Wish You Were Here.

Muita gente pergunta se existe algum registro em vídeo dessa tour e eu respondo que não há em parte nenhuma da Terra. Os boatos são de que o único registro gravado em video foi o tão conhecido bootleg "Who Was Trained Not To Spit In The Fan" confiscado e guardado a sete chaves pelo nosso tão querido e sistemático Roger Waters após uma briga com um fã durante o show. Quem sabe um dia ele solta essa tal fita...

Minha coleção de VHS e DVDs do Floyd parece ter um buraco quando se trata dessa tour do Animals.

ATENÇÃO: Mesmo em FLAC, a qualidade do áudio é bem razoável. Portanto, destino esse bootleg somente aos colecionadores desse tipo de registro.


TRACKS:

DISCO 1:

1. Sheep
2. Pigs On The Wing (Part 1)
3. Dogs
4. Pigs On The Wing (Part 2)
5. Pigs (Three Diferent Ones)

DISCO 2:

1. Shine On You Crazy Diamond (Parts I - V)
2. Welcome To The Machine
3. Have a Cigar
4. Whish You Were Here
5. Shine On You Crazy Diamond (Parts VI - IX)
6. Money

MEGA

QUALQUER PROBLEMA COM O LINK, PEÇO QUE RELATEM NOS COMENTÁRIOS DA POSTAGEM.