quinta-feira, 1 de outubro de 2015

DROSSELBART - Drosselbart - 1970


Esse talvez deva ser o disco mais injustiçado de toda a Alemanha, seus músicos eram totalmente desconhecidos e a proposta criada pela banda não agradou á maioria dos ouvintes. Penso diferente a respeito, pois achei um disco bastante cativante com harmonias variadas que passam pelo experimentalismo do Krautrock mesclados ao Heavy Prog e a um leve toque de Folk.

 Os belos e imponentes vocais são executados na língua nativa pelo guitarrista Peter Randt acompanhado da bela voz de Jemima, que dá um toque feminino fundamental e com nítida influência a música erudita. A segunda faixa leva seu nome e certamente é um dos destaques de todo o disco. Nota-se também algumas tímidas passagens de órgão de igreja que dão um toque religioso em certas faixas, lembrando alguns cânticos da religião Católica dos séculos passados.

A banda era composta por duas fortes guitarras que se entrelaçavam a um agressivo Hammond, gerando um certo caos quando se encontravam às vozes do duo de vocalistas. Trata-se de um disco bem obscuro, típico do cenário alemão do começo dos anos 70 e, mais uma vez de difícil digestão em um primeiro momento.

Certamente não está entre os melhores , mas algumas canções revelam impressionantes sentimentos envolventes dentro de uma estética musical bastante agradável.



Seu único registro oficial foi lançado originalmente em 1970 pela Polydor e relançado em CD pelo selo alemão Long Hair em 2004. 
Existem ainda dois raros registros lançados em forma de EP entre os anos de 70 e 71 também pela Polydor. Os EPs são compostos por duas faixas em cada e não se tem ideia se ainda encontram-se disponíveis em catálogo.



TRACKS:

1. Inferno - Drosselbart
2. Jemima
3. Liebe ist nur ein Wort
4. Du bist der eine Weg
5. Engel des Todes
6. Böse Buben
7. Vater unser
8. Folg mir
9. Montag
10. Nach einer langen Nacht
11. Der Sommer (Inclusive Der Sturm)
Bonus tracks:
12. An einem Tag im August
13. O'Driscoll




YANDEX

Um comentário:

  1. Belo disco, típico mesmo do início do prog alemão: alguns faixas carecem de mais acabamento, mas todas exalam garra e pureza. Os vocais ásperos em alemão são uma atração à parte.

    ResponderExcluir