domingo, 27 de setembro de 2015

MAGMA - Grenoble - 1975


Talvez essa seja uma das postagens mais difíceis de se fazer por aqui mas deixar de compartilhar um registro desse porte seria uma baita sacanagem. Existem centenas de bootlegs de variados anos do Magma espalhados por aí mas a maioria deles nem vale a pena escutar. A qualidade do áudio é tão ruim que chega a perder a magia de toda a complexidade desenvolvida pela banda,por esse motivo escolhi o melhor de meu acervo em termos de qualidade sonora.

A quem não conhece, o Magma foi formado na França no fim dos anos 60 com toda a excentricidade de seu líder e baterista gênio/lunático Christian Vander, que deu mais vida ao rock progressivo criando um sub-gênero próprio denominado por Zeuhl, que significa "celeste" no dialeto Kobaïan, linguagem também criada por Vander e exclusiva da banda, o que se tornou um ponto de extrema importância para todo o sucesso do Magma.

Kobaïa é um planeta situado em um universo paralelo com péssimas condições climáticas e com nativos determinados a germinar o mau. Com o planeta Terra em destruição, um grupo de pessoas se mudam para Kobaïa com o objetivo de arquitetar uma nova civilização mas os nativos Kobaïns acabam entrando em conflito com os terráqueos. Toda essa guerra é narrada ao decorrer da magnífica discografia da banda que também aborda temas como as divindades e crenças do planeta Kobaïa.

O som executado pela banda é de extrema criatividade e circundado por excelentes rodas de compasso com arranjos teatrais e guitarras pesadas e distorcidas. Efeitos medonhos de voz e os tambores de Vander também dão um certo destaque a toda discografia dessa banda que é considerada por mim como uma das mais criativas e inovadoras de todos os tempos, fora o experimentalismo e as técnicas de improvisação com batidas voltadas para o Jazz e desenvolvidos por pelo menos oito integrantes que fazem parte desse lindo projeto.


Nesse bootleg gravado na cidade francesa de Grenoble em 17 de Maio de 1975, encontramos algumas faixas que não se encaixam na discografia da banda. O que se sabe é que  nem tudo o que era criado por Vander e cia não era lançado oficialmente mas virava repertório de shows, exemplo disso são as faixas "Ptah" e "Hhai". Fora isso, encontramos excelentes versões das faixas  "Köhntarkösz" com quase 35 minutos de duração e também a execução na íntegra do álbum "Mëkanïk DëstruktÏw Kömmandöh", álbum este que pra mim é o mais criativo de toda a carreira do Magma.

Os fãs mais enérgicos que me desculpem pela péssima resenha mas são tantas as informações e detalhes sobre essa magnífica banda que fica difícil resumir tudo em uma só postagem e com o pouco conhecimento que tenho sobre toda sua complexa obra fica mais difícil ainda...

Posso dizer que Christian Vander é um dos maiores compositores do sec XX, trazendo a tona um projeto audacioso e tecnicamente muito bem desenvolvido que revolucionou o mundo da música durante os anos 70 e que até hoje desperta a curiosidade de muita gente.


TRACKS:

1. Intro

2. Köhntarkösz
3. Ëmëhntëht-Rê
4. Ptah
5. Hhai
6. Intro
7. Mëkanïk DëstruktÏw Kömmandöh


YANDEX

Um comentário:

  1. E aí, galera, tudo na mais perfeita desordem?
    Depois de anos de hibernação, resolvi reativar o Plano Z, dessa vez com uma proposta um pouco diferente, meio que mixando o que eu fazia n’O Pântano Elétrico com a natureza mais light do PZ, ou seja, continuarei postando discos pra galera baixar, mas a postagem deverá ter um texto mais curto e direto do que eu costumava escrever lá no Pântano. Também pretendo não focar somente nos discos, postando o que der veneta, seja lá o que isso significa... rsrs
    Sendo assim, então, aqui está o convite para um passeio pelo Plano Z, para conferir as novas postagens. A gente se esbarra por lá.
    Grande abraço!
    Valeu!

    ResponderExcluir